Mkhitaryan pode ficar de fora da final da UEFA Europa League

A decisão do torneio continental será realizada em Baku, capital do Azerbaijão.

O Craque Armênio Henrikh Mkhitaryan, Jogador do Arsenal, pode ser impedido de disputar a final da UEFA Europa League, segundo maior torneio continental da Europa, que será disputada em Baku capital do Azerbaijão. Devido às tensões históricas entre Armênia e Azerbaijão motivadas pelo conflito pelo controle da região de Artsakh (antigo Nagorno-Karabalh), o atleta dificilmente receberá o visto para entrar no País.

Henrikh Mkhitaryan, do Arsenal, é armênio e pode não jogar a Liga Europa por ser no Azerbaijão Foto: Hannah Mckay / Reuters

Durante a fase de grupos do torneio, o meio-campista não disputou a partida entre Arsenal e Qarabag por não ter obtido o visto das autoridades azeris. Em 2015, quando defendia o Borussia Dortmund, Mkhitaryan também foi impedido de entrar no Azerbaijão para enfrentar o mesmo Qarabag.

O conflito Armênia x Azerbaijão

O Azerbaijão e Armênia travaram uma guerra de 1988 a 1994, que culminou com um cessar-fogo em vigência até hoje, mas que foi violado pelo lado azeri em 2016, no que ficou conhecido como a ‘guerra dos 4 dias’. 

Ainda em 2016, o campeão brasileiro de Xadrez, Krikor Sevag abriu mão de representar o Brasil em evento internacional realizado no Azerbaijão naquele ano por conta da falta de segurança. Krikor é descendente de armênios nascido no Brasil. 

O Azerbaijão, governado a mão de ferro por Ilham Alyev há mais de uma década, se vende como um país democrático e tem recebido diversos eventos esportivos como mundiais de judô e até etapa da fórmula 1. Entretanto, o país, junto com a Turquia, lideram o ranking de países com menos liberdade de imprensa e de expressão no mundo.

Porém, os petrodolares azeris falam mais alto na hora de sediar eventos importantes. E não apenas. O lobby azeri no mundo chegou inclusive no Brasil, onde deputados brasileiros demonstram interesses secretos com o Azerbaijão, haja vista as visitas constantes de Rodrigo Maia ao país e o histórico recente de tentativas de requerimentos anti-armênios no Congresso (relembre aqui).

O leitor deve ter em mente que alguns dos povos azeris são primos de povos turcos. O ódio contra os armênios é pregado tanto na Turquia como no Azerbaijão.

Os armênios, mesmo fora das fronteiras da armênia, mantém um governo dentro do território que é majoritariamente armênio e foi cedido ao Azerbaijão por Stalin durante a criação da União Soviética, da qual os 2 países fizeram parte por mais de 7 décadas.

Azerbaijão mantém uma lista negra com nomes de personalidades do mundo todo que já visitaram Artsakh. Os armênios fazem valer o direito de autodeterminação dos povos e vivem no território milenar armênio, mesmo com as ameaças azeris de violência.

Garantias para Mkhitaryan

Campeão da Europa League em 2017 pelo Manchester United, Mkhitaryan busca o Bi- campeonato e é peça importante no time do Arsenal que não disputa uma final continental há 13 anos e enfrentará o Chelsea na decisão.
Além do impasse diplomático, o Arsenal ainda teme pela segurança do atleta.

“A segurança de nossos jogadores é de importância primordial. Estamos esperando garantias da Uefa de que será seguro para Henrikh Mkhitaryan viajar a Baku para a final da Liga Europa, o que é requerido tanto pelo Arsenal quanto por Mkhitaryan como condição para que ele seja incluído entre os relacionados para a partida”, afirmou um porta-voz da equipe.

Em caso de problemas diplomáticos, a norma padrão da UEFA é solicitar às Federações e embaixadas que facilitem a emissão de vistos, caso seja necessário. Entretanto o visto de Mkhitaryan ainda não foi emitido e a UEFA também não ofereceu ao Arsenal as garantias de segurança.

“As garantias que estamos esperando ainda não foram dadas, e esperamos que a Uefa consiga solucionar esse problema de forma rápida. Estamos seriamente preocupados que a localização da partida final seja algo que não permita a Mikhitaryan jogar a final europeia”, concluiu o porta-voz do Arsenal.

Fonte Estação Armênia |  Publicado por Jonas Veras